FEB - Federação Espírita Brasileira

A Casa de Ismael

“A Federação Espírita Brasileira é uma sociedade civil religiosa, educacional, cultural e filantrópica com personalidade jurídica, reconhecida de Utilidade Pública Nacional, Estadual (RJ) e no Distrito Federal (DF), tem por objetivo e fins o estudo teórico e prático do Espiritismo, a observância e difusão dos seus ensinos, a prática da caridade espiritual, moral e material, sem discriminação de raça, sexo, cor e religião, e, por fim, a integração das Sociedades Espíritas do Brasil no seu organismo, estando a cargo de um Conselho Federativo Nacional desenvolver, ampliar e coordenar os planos da Organização Federativa, no sentido de uma completa harmonia de pensamento e unidade de programa e ação.
A Federação Espírita Brasileira, conhecida pela sigla FEB, foi fundada na cidade do Rio de Janeiro (RJ), em 2 de janeiro de 1884, pelo culto e honrado fotógrafo português Augusto Elias da Silva, na sua residência à Rua da Carioca n° 120, sobrado, estando presentes mais de onze espíritas, entre os quais o Marechal Francisco Raimundo Ewerton Quadros, que foi o primeiro Presidente da Sociedade.
Só depois de 27 anos de existência, é que a Federação Espírita Brasileira levantou a sua sede própria, à Avenida Passos n° 30, no Rio de Janeiro (RJ), em cuja fachada está inscrita a divisa: Deus, Cristo e Caridade, hoje sede seccional. Sua sede central está situada em Brasília (DF).
Ao Marechal Ewerton Quadros sucederam, na presidência da FEB, os seguintes diretores: Dr. F. M. Dias Cruz, Dr. Júlio César Leal, Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, Leopoldo Cirne, Dr. Aristides Spínola, Cel. Luís Barreto A. Ferreira, Alm. F. V. Paim Pamplona, Manuel J. F. Quintão, Eng. L. O. Guillon Ribeiro, Farm. A. Wantuil de Freitas, Dr. Armando de Oliveira Assis, Francisco Thiesen e Dr. Juvanir Borges de Souza, Presidente desde agosto de 1990.
No mesmo mês de fundação da Federação Espírita Brasileira, passou a ser seu órgão oficial de imprensa o jornal (depois revista) - Reformador, que anteriormente, aos 21 de janeiro de 1883, havia sido fundado também por Elias da Silva.
Dos órgãos espiritistas mais antigos do mundo, e ainda em circulação, figura o Reformador, em quarto lugar.
É curioso assinalar que essse mensário religioso de Espiritismo Cristão, de vida ininterrupta, é, de acordo com os Anais da Biblioteca Nacional (Vol. 85), um dos quatro periódicos que, surgidos no Rio de Janeiro antes de 1889, conseguiram sobreviver até aos dias de hoje.
Possui a Federação Espírita Brasileira, a que nós os espíritas carinhosamente chamamos Casa de Ismael(Ismael é o nome do Espírito Protetor do Brasil), vários setores internos: Conselho Diretor, Diretoria Executiva, Assessoria da Presidência, Conselho Fiscal, Conselho Superior, Assembléia Geral, Conselho Federativo Nacional, Departamento Editorial e Gráfico, Departamento de Infância e Juventude, Departamento de Assistência Social (Comissão de Assistência), Bibliotecas, Livrarias, Departamento de Esperanto, Departamento de Estudo do Espiritismo, etc.
O Conselho Federativo Nacional, cujas reuniões se processam periodicamente, presidido pelo Presidente da FEB, é composto de 26 Sociedades Federativas de âmbito estadual, aí compreendido, como Estado, o Distrito Federal, além de Sociedades Espíritas não federativas, de âmbito nacional.
Em 1957, a pedido da Federação Espírita Brasileira, o Ministério da Viação (atual Ministério das Comunicações) autorizou a emissão, pelo Departamento dos Correios e Telégrafos, do primeiro selo espírita em todo o mundo. E em 1964 e 1969, ainda por solicitação de Federação foram lançados três novos selos postais espíritas.
Pela sua larga folha de serviços prestados à coletividade, desfruta a Federação Espírita Brasileira de alto conceito e grande prestígio no Brasil e além-fronteiras.”

(Síntese extrída da Apostila dos Estudos Sistematizados da Doutrina Espírita (ESDE))

Do Conselho Federativo Nacional.